Vazamento de GLP pode ter causado explosão em são cristovão

Your ads will be inserted here by

Easy Plugin for AdSense.

Please go to the plugin admin page to
Paste your ad code OR
Suppress this ad slot.

Uma explosão de grandes proporções num estabelecimento assustou os moradores de São Cristóvão (RJ) na madrugada desta segunda-feira. Segundo a Defesa Civil, cerca de 40 imóveis foram afetados de forma direta ou indireta pela explosão.

Os bombeiros retiraram sete pessoas dos escombros, entre elas uma criança e outras seis vítimas. Todos foram levadas para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro.

A Defesa Civil municipal investiga se a explosão foi provocada por vários botijões de gás que possivelmente estavam armazenados irregularmente em um dos estabelecimentos comerciais.

A CEG, companhia responsável pela rede de gás encanado no Rio de Janeiro, informou que a uma pizzaria e um restaurante, ambos destruídos pela explosão, não eram clientes da empresa.

Os dois estabelecimentos usavam cilindros de GLP (Gás Liquefeito de Petróleo), embora na região esteja instalada a rede de gás natural encanado.

Vizinhos reclamaram que os restaurantes armazenavam cilindros de gás e disseram que sentiam cheiro do produto. Peritos vão tentar esclarecer onde e como os cilindros eram guardados nos dois estabelecimentos comerciais. Segundo a Secretaria de Ordem Pública do município (Seop), a pizzaria e o restaurante têm alvarás (autorizações) de funcionamento e certificado do Corpo de Bombeiros.

Curiosidade

Your ads will be inserted here by

Easy Plugin for AdSense.

Please go to the plugin admin page to
Paste your ad code OR
Suppress this ad slot.

Um fato que desperta atenção é que, aparentemente, não há consenso entre as autoridades sobre obrigatoriedade ou não de os restaurantes estarem ligados à rede encanada de gás

Alguns técnicos acreditam que exista um conflito entre os artigos 143 e 144  do Código de Segurança contra Incêndio e Pânico (decreto estadual 897, de 1976), dificultando a precisa interpretação sobre a obrigatoriedade dos comércios estarem ligados à rede.

“Subseção III Das Instalações de Gás no Interior de Edificações

Art. 143 – O suprimento de GLP a todos os prédios com mais de 5 (cinco) unidades habitacionais ou a novos prédios com destinação recreativa, hoteleira, comercial ou a qualquer outra que estimule ou provoque a concentração de público, bem como às novas edificações situadas dentro do perímetro urbano, só poderá ser feito colocando o botijão ou cilindro no pavimento térreo e do lado de fora da edificação.

Parágrafo único – O dimensionamento e os requisitos técnicos da instalação situada no interior das edificações ou fixada em paredes, ainda que exteriormente nessas mesmas edificações, deverão atender às normas técnicas da Companhia Estadual de Gás do Rio de Janeiro – CEG.

Art. 144 – Nas edificações dotadas de instalações internas situadas em ruas servidas por gás canalizado não será permitida a utilização de gás em botijões ou cilindros.”

Vale apena ressaltar que o GLP, em geral, Se estiver em ambiente fechado, no caso de vazamento, o gás se mistura com o ar, e essa combinação se torna altamente explosiva.

DantasNet

Em Breve...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *